Unidade II - Educação infantil

Rua Jureia, 575 - Vila Mariana, São Paulo - SP
[55] 11 5572-1274

  • Grey Facebook Icon
  • medium-m-color-688_edited
  • Grey Instagram Icon
  • Grey YouTube Icon

Unidade I - Berçário

Rua São Samuel, 165 - Vila Mariana, São Paulo - SP
[55] 11 5084-0111

Flores crocantes

29/06/2018

Por Alexandre Gomes Fernandes

 

 

 

Martim participa de nossos contextos com curiosidade, e sempre nos surpreende com seus comentários durante os diálogos que temos.

 

Em um dos nossos momentos do Desenho de Observação de Plantas, Martim e Elisa observaram uma coleção de rosas que estavam fora da água há duas semanas.

 

Começamos esse contexto explorando as rosas, observando-as atentamente com as lupas. Antes eram rosas rosas. Agora, são roxas. Questiono, por que elas mudaram de cor. Martim pensa e me diz poeticamente:

 

- Estão assim porque passou o outono.

 

A investigação continua e eles descobrem que há trechos das pétalas em amarelo.

 

Eis mais uma interrogação, e Martim começa a pensar, faz um porqueee bastante longo para me dizer que “caíram flores amarelas nela”.

Antes que eu pudesse falar qualquer coisa, ele expressou sua hipótese em detalhes:

 

- Daí… a flor passou pra essa planta. E daí, quando passou o outono ela ficou dessa cor.

 

Martim elabora toda essa poesia por meio da sua análise visual. O que acontecerá se ele tocar as rosas?

 

Ele as toca, e não há mais aquele som suave de quando estão desabrochando. Ele gosta do som e começa a tocar as folhas secas.

Os sons, a textura e o que Martim sente, e não podemos sentir, o faz poetizar novamente e me dizer:

 

- Elas estão crocantes.

 

Please reload